Sexta-feira, 7 de Janeiro de 2005

AS "FASES" DO AMOR

flores brilha.gif

A fase do encantamento

Em presença do amor, a pessoa amada sofre, ante o olhar do amante, uma verdadeira transfiguração.

Por sua vez, o olhar do apaixonado, percebe, no ser amado, o conjunto de todas as qualidades que o integram, principalmente aqueles que possuem um valor superior.

A fase da insinuação

Simultaneamente, realiza-se a exibição das próprias qualidades e a manifestação ou insinuação do afecto que sente pela pessoa amada.

Às vezes, esta manifestação se dá de modo solene e espectacular, constituindo a clássica "declaração de amor".

Mas o certo é que essa solenidade vai desaparecendo porque as novas gerações são mais realistas e estão muito mais a par das "técnicas" de aproximação.

A fase de correspondência e a vivência do "eco".

Até aqui, o indivíduo tinha apenas uma certeza: amava. Mas se o processo amoroso segue um curso normal, chega o momento em que, como resultado das insinuações realizadas, ele sente que é amado!

A pessoa amada, de fato, não deixa transparecer de início sua correspondência, senão quando está segura da sinceridade e dos sentimentos dele. O que acontece nessa fase?

Não há alegria nem satisfação comparável, em magnitude e qualidade, com o que se sente em tais momentos.

Não há palavras nem metáforas capazes de descrever esse momento de arrebatamento passional, de plenitude de êxtase, que caracteriza a descoberta do "eco" amante.

A fase da fusão e simbiose

Na união amorosa, sem deixar de ser quem sou, converto-me de alguma forma, nele, percebo, sinto e compartilho quanto ele sente e vive.

Entretanto, nessa fusão e na simbiose resultante, não há, como possa parecer, mescla nem confusão das essências pessoais. Cada um dos amantes conserva e realça seus próprios valores; transfigura-se e adquire seu máximo esplendor quando vive sob o manto do amor.

A fase da dúvida

Sem solução de continuidade, o processo amoroso da fase anterior para esta outra, onde a imaginação tece muitas fantasias sobre o futuro.

Não é verdade que "sonhar não custa nada". Custa, em primeiro lugar, afastar-se da realidade e, depois, voltar a ela. Assim, a pessoa que ama começa a se torturar pelas perspectivas dos prazeres e dos fracassos antecipados.

A ilusão se refere não somente às qualidades do ser amado, mas também à concepção de uma vida venturosa com ele.

(Myra y López)

publicado por Princesa às 13:39
link do post | favorito
De Anónimo a 8 de Janeiro de 2005 às 17:15
Anonymus ... isto é um texto copiado não deu trabalho... beijinhosPrincesa
</a>
(mailto:princesa_45@sapo.pt)
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres